Com o pé direito

02/09/2016 12:07:34

Adamar Gomes


          Mesmo com o pouco tempo de treinamento e a falta de entrosamento, o time brasileiro, enfim, deu o seu recado nas eliminatórias, nas estreias do técnico Tite e do serelepe Gabriel Jesus, que o Palmeiras negociou com o Manchester City, da Inglaterra. A vitória de 3x0 sobre o Equador, embora exagerada na sua dose, acabou sendo justa, pois foi o time brasileiro que melhor se apresentou, notadamente na etapa final, tomando conta da situação e praticando um jogo coletivo, que andou ausente nas atuações anteriores.

         O primeiro tempo foi de dificuldades, quando a equipe ainda se adaptava à sua nova maneira de atuar, tendo pela frente um adversário que, com a segunda colocação garantida, achava e passou toda a semana pensando nisso, que poderia até com certa facilidade cravar uma vitória sobre uma equipe, que segundo eles, “não assustava a mais ninguém”. E não estavam exagerando não, pois essa instabilidade era passada a todos os adversários, pela forma que o escrete nacional vinha se apresentando, como uma equipe desorganizada, sem diálogo em campo e visivelmente desconectada em campo.

         Na etapa final, tivemos um jogo que, sinceramente, esperamos que continue a ser praticado. Não que tenha sido fenomenal. Nada disso. Mas, que pelo menos mostrou um jogo solidário, de toca de bola e sem fórmulas mágicas. Claro que erros aconteceram e há tempo para que a correção seja feita ao longo da caminhada, que é muito longa até que se chegue ao final das 18 rodadas, qualificadoras para a Copa do Mundo de 2018, a ser disputada na Rússia.

         Que esse sentido de grupo não tenha sido apenas fator de sucesso no jogo em Quito e possa perdurar nessa nova caminhada do selecionado. Não concordo com a afirmação que “A seleção é Neymar e mais 10” e nem que Tite seria o salvador da pátria. Sozinho Neymar não faz nada e nem Tite ou o nome do jogo de ontem, Gabriel Jesus. Cabe ao jogador diferenciado ter humildade, jogar em coletividade, buscando na equipe a melhor forma de conseguir resultados. É isso o que se quer da Seleção.



Adamar Gomes - radialista e jornalista, atua no Sistema Clube de Rádio. É narrador esportivo e chefe da equipe Bola na Rede da Rádio Clube. Participa do Liberdade nos Esportes. Publica notícias do esporte no site AG Esporte e Clube Notícia.