Mais de cem pacientes com câncer, de Patos e região, não iniciaram tratamento; problema envolve crise no São Lucas

logo-face
logo-face
Mais de cem pacientes com câncer, de Patos e região, não iniciaram tratamento; problema envolve crise no São Lucas

Pelo menos 145 pacientes com câncer, de Patos de Minas e cidades do Noroeste Mineiro, ainda não iniciaram tratamento. O problema envolve a crise no Hospital São Lucas (HSL) e o contrato com a Clínica de A a Z do Alto Paranaíba. De acordo com portaria do Ministério da Saúde, aqueles que são diagnosticados com a doença têm de receber tratamento em, no máximo, 30 dias. A situação força a transferência dos atendimentos para Uberaba, no Triângulo Mineiro.

De acordo com o Conselheiro Estadual de Saúde, Pedro Israel da Cunha, o impasse está na atuação do HSL. A Clínica de Oncologia realiza os procedimentos de radioterapia e quimioterapia, e o Hospital oferece as cirurgias oncológicas. No entanto, o São Luas deixou de prestar esse serviço. “As dificuldades financeiros do Hospital geram esse problema e ele não está fazendo esse serviço”, destacou Pedro.  

A medida também implica na transferência de recursos – hoje aplicados em Patos de Minas – para o Hospital Hélio Angotti (Hospital do Câncer do Triângulo), localizado em Uberaba. O dinheiro vem de vários municípios da região e são transferidos para o Fundo Municipal de Saúde, regulamentado pelo Ministério da Saúde. “Agora falta pouco para gente transferir nossos pacientes. A Superintendência Regional de Saúde já autorizou, falta apenas a chancela do diretor do Hélio Angotti”, disse.

Enquanto o impasse não é solucionado, os pacientes seguem aguardando tratamento. Para o Conselheiro, a situação é gravíssima. A transferência dos recursos foi acordada em reunião realizada na última semana, em Paracatu. O encontro reuniu gestores da saúde de toda região.

Por: redação Clube Notícia.

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 02/12/2019

    No São Lucas se morre de diarreia, este hospital não tem condição de continuar funcionando, quem entra para fazer algum tratamento lá, esta recebendo antecipadamente, o seu atestado de óbito com antecedência... sempre foi assim! Agora eu quero saber porque, se o "E-SUS", esta cançado de saber da situação desde hospital, e continua mandando pacientes para lá?! Imbecil, não é a pessoa que ignora, mas é a pessoa que tem á informação correta mas continua á ignora-la! Agora eu não sei qual é a real função de um conselheiro de saúde que da qual este senhor exerce, mas para o meu conceito, conselheiro, é o mesmo que tem influência, e pode até ter poder de decisão,mas parece que este não é o caso, mas para dar incentivo para a greve de funcionários da saúde ele´e ótimo!

  • Sabrina

    Comentário enviado em - 20/01/2020

    Até quando os pacientes terão que esperar pelo tratamento adequado? No Centro Oncológico o tratamento dos médicos é excelente, no entanto se o caso é inicialmente cirúrgico, eles não dão seguimento até avaliação de um cirurgião. Porém, o serviço cirúrgico está suspenso devido a crise do Hospital São Lucas. Os próprios médicos já fornece encaminhamento e orienta o paciente procurar um cirurgião por conta própria e voltar somente após realizada e cicatrizada a cirurgia (cada paciente se vira), ou com laudo da negativa do cirurgião. Ou seja, enquanto isso, nenhum tratamento é iniciado. É um absurdo um paciente oncológico ficar esperando a boa vontade de administradores, sendo que o msm possui uma proteção legal, onde o tratamento deve iniciar no prazo de 30 dias. O interessante é que a maioria dessas pessoas que ficam adiando ou segurando tais decisões são aquelas que normalmente não necessitam desse tipo de serviço, pois em sua maioria possuem planos de saúde privado. pelo amor de Deus, resolvam logo essa situação, o povo não pode esperar mais por isso, estão morrendo por negligência de algumas pessoas.