Ele foi preso, apanhou na cadeia, mas não aprendeu a lição; rapaz é novamente conduzido por ameaçar a mãe de morte

logo-face
logo-face
Ele foi preso, apanhou na cadeia, mas não aprendeu a lição; rapaz é novamente conduzido por ameaçar a mãe de morte

A história se repetiu: Wanderson José Alves, 24 anos, voltou a promover quebradeira em casa e ameaçar a mãe de morte. Na semana passada, Wanderson foi parar no presídio, pelo mesmo motivo. Na oportunidade, ele chegou a dar cadeiradas na mãe.

No presídio, um colega de cela o agrediu depois que descobriu que ele havia agredido a própria mãe. Depois de alguns dias no presídio, Wanderson ganhou a liberdade, porém aprontou novamente.  

Nesta segunda-feira, o jovem apareceu em casa, mais uma vez, descontrolado e nervoso. De acordo com o boletim de ocorrência, ele exigia que a mãe lhe comprasse uma casa, pois queria morar sozinho. Também chegou a ameaçar a mulher, dizendo que a mataria se tivesse seu desejo atendido. Wanderson chegou a quebrar uma porta.

A Polícia Militar foi acionada a comparecer no local, na Avenida Tomaz de Aquino, Bairro Nossa  Senhora das Graças, e realizou a prisão do filho. Em conversa com os militares, Wanderson disse que quer morar sozinho por que não gosta mais da mãe.

Diante dos fatos, Wanderson José Alves, foi conduzido para a delegacia de Polícia Civil, em Patos de Minas, por dano e ameaça. Em conversa com a reportagem, a mãe disse que não aguenta mais as atitudes do filho e que já procurou ajuda em vários órgãos e não conseguiu uma internação para o rapaz. Ela finalizou a conversa pedindo ajuda à população para conseguir um tratamento para o filho que apresenta transtornos mentais.

Comentários

  • Paula Tejante

    Comentário enviado em - 15/10/2019

    malandro, vagabundo, merece ficar preso pro resto da vida.

  • Na Real

    Comentário enviado em - 15/10/2019

    Sabe?! Sabe aquele Promotor, que um bando de "Puxa-saco", estavam elogiando ontem, pois é, este individuo é de responsabilidade dele!? O Cara não ficou preso, nem uma semana, já estava na rua para cumprir a sua ameaça! Este é o profissional, que o estado mantém nos seus quadros de funcionários, que não diz aqui veio! Mas este individuo, não faz parte da alta sociedade e nem é um "Caucasiano" de olhos azuis amendoados! É um pobre de descendência negra, diagnosticado com um distúrbio mental! Depois que ele cumprir á ameaça, ou deixar ela com uma sequela, nem assim será de responsabilidade do "Estado"!