Patenses reclamam do atendimento dos Correios em Patos de Minas; greve piorou situação nesta segunda

12/03/2018 14:26:34

Redação Clube Notícia

Patenses reclamam do atendimento dos Correios em Patos de Minas; greve piorou situação nesta segunda

A greve dos Correios, que acontece em todo o Brasil, trouxe transtornos para a população de Patos de Minas. Na tarde de segunda-feira, muitos enfrentaram filas enormes para recolher cartas e encomendas que não foram entregues. Além da demora no atendimento, a comunidade reclama também da falta de condições para receber o público. Não há, por exemplo, fila prioritária para idosos ou gestantes, nem mesmo bancos suficientes. Como o espaço é pequeno, a fila se estende por uma escada apertada, pouco iluminada em um local abafado.

“É uma vergonha a gente ter que passar por uma situação dessas. Além de não entregarem nossas correspondências devidamente, quando se precisa buscar alguma coisa aqui, o atendimento ao público é péssimo”, disse um patense que prefere não ser identificado. A indignação é tamanha que, muitos chegaram a registrar, em redes socais, o descaso com o atendimento. “É uma vergonha. Fiz uma postagem [no Facebook] agora e todo mundo compartilha da mesma opinião: o serviço que os Correios prestam é horrível”, disse outra pessoa que estava na fila.

Os trabalhadores dos Correios em todo o Brasil entraram em greve na noite deste domingo e reivindicam melhorias, como segurança, aumento salarial e contratação de mais funcionários. Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), a paralisação não tem data para terminar.

A federação também explicou que a mudança no plano de saúde dos trabalhadores, assunto em julgamento no Tribunal Superior do Trabalho (TST), é um dos principais motivos da greve. A atual gestão da estatal quer que os dependentes, como pais, filhos e cônjuges, não recebam mais o benefício. A justificativa para a medida é a falta de recursos.

Sobre a greve da categoria, os patenses têm opiniões diversas. “Eu sou completamente contra, greve pra quê? As pessoas recebem é para trabalhar”, comentou irritado um idosos que aguardava atendimento. Já o jovem Henrique, de 19 anos, se diz solidário com os funcionários da estatal e culpa o Governo. “Eles têm que pagar direito, dar condições de trabalho, serem mais honestos com o trabalhador. No final, quem está sofrendo somos nos, o povo!”.

Através de nota em seu site oficial, os Correios avaliaram que “um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passa a empresa e afeta, inclusive, os próprios empregados”. Além disso, informaram que a questão do plano de saúde “foi discutida exaustivamente com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quando em mediação pelo TST”.

Comentários