Black Friday: eficiência dos aparelhos eletrônicos deve ser observada no momento da compra

logo-face
logo-face
Black Friday: eficiência dos aparelhos eletrônicos deve ser observada no momento da compra

Na próxima sexta-feira (26/11), muitos brasileiros irão às compras para adquirir produtos e serviços aproveitando a Black Friday, data que tem se popularizado no Brasil por oferecer preços mais atrativos aos clientes. Contudo, a Cemig ressalta que o desconto pode não compensar, caso a eficiência do equipamento não seja observada na hora da compra.   

De acordo com o engenheiro de Eficiência Energética da Cemig, Thiago Batista, o cliente deve ficar atento ao selo Procel antes de adquirir um eletrodoméstico ou aparelho eletrônico. O ideal é comprar os que tenham a chancela ou que venham com a etiqueta do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) com a letra “A”, pois são os mais eficientes.   

“O selo Procel já é bastante conhecido pela população, e indica os equipamentos mais eficientes da categoria. Essa classificação é benéfica para o interessado porque ele pode escolher o aparelho que consome menos energia”, explica.    

Criado na década de 1990, o selo pode ser verificado em refrigeradores, lavadoras, televisores, ventiladores, micro-ondas, ar-condicionado, lâmpadas, reatores, bombas e motobombas, motores elétricos, sistema de aquecimento solar e sistema fotovoltaico.   

Outras considerações 

Se um eletrodoméstico ou equipamento eletrônico estiver com um preço muito inferior a outros similares, outro detalhe a ser observado é a tabela Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), criada pelo Inmetro. Essa ferramenta classifica o dispositivo de acordo com o desempenho do produto com relação ao consumo de energia.  Os aparelhos são classificados de A (melhor desempenho) a G (pior desempenho).    

“Dependendo da classificação do aparelho adquirido, os descontos conseguidos na Black Friday podem não ser tão atrativos, porque, ao longo do tempo, o consumo de energia dos equipamentos menos eficientes é maior, se comparado aos de classificação A”, destaca. 

Ele ainda explica que o consumo de energia depende, basicamente, de duas variáveis: potência, em Watts (W), dos equipamentos e tempo de utilização, em horas. “Se o produto é mais barato no momento da aquisição, mas é menos eficiente, essa diferença será sentida na conta de luz enquanto ele for utilizado”, alerta o especialista.    

Durante a Black Friday, são muito comuns as compras pela internet, situações em que nem o selo Procel nem as tabelas Ence estão visíveis para os clientes. Nesses casos, Thiago Batista orienta o consumidor a buscar estas informações em outras fontes. 

“Nos sites de compra é comum que estas informações estejam omitidas, principalmente quando se trata de equipamentos com baixa classificação de eficiência. Procure pela marca e pelo modelo do equipamento no site do fabricante e até mesmo em outros endereços de venda, para se certificar da eficiência e do impacto do consumo deste item na sua fatura de energia elétrica”, reforça. 

Agência Minas

Comentários