Vacinas da gripe e da covid-19: saiba qual deve ser tomada primeiro

logo-face
logo-face
Vacinas da gripe e da covid-19: saiba qual deve ser tomada primeiro

A campanha de vacinação contra a gripe deste ano começa no dia 12 de abril e vai até 9 de julho, segundo divulgou o Ministério da Saúde e tem o público-alvo estimado em 79,7 milhões de brasileiros. A meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos prioritários. 

A imunização contra a influenza, segundo a pasta, vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os da covid-19. 

O Ministério vai distribuir 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para imunização do público-alvo e orienta aos estados que todas as medidas de prevenção à transmissão da covid-19 sejam adotadas durante a campanha em mais de 50 mil postos de vacinação espalhados pelo Brasil. 

Covid-19

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza coincidirá com a realização da vacinação contra a covid-19 e o Ministério da Saúde não recomenda a aplicação das duas doses simultaneamente. A orientação, neste momento, segundo a pasta, é priorizar a imunização contra o novo coronavírus. 

As pessoas que fazem parte do grupo prioritário para a vacinação contra Influenza e que ainda não foram vacinadas contra a covid-19, portanto, devem priorizar a dose contra a covid-19 e agendar a vacina contra a Influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre elas. 

Grupos prioritários

Nesta campanha, serão imunizadas crianças de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos ou mais, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. 

A vacinação será feita de forma escalonada, com os grupos prioritários sendo distribuídos em três etapas. Os municípios terão autonomia para definir as datas de mobilização (Dia D), conforme a realidade de cada região. 

Fonte: Itatiaia

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 18/03/2021

    Olha só a desinformação dessa camada de "DITOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE". No ano passado quando apareceram os primeiros casos de "CORONA-VÍRUS", á "Marinha Americana", fez um estudo "Randomizado de duplo Cego", aplicando a vacina contra á influenza, em 50 soldados sadios do "CORPO DE FUZILEIROS NAVAIS", todos eles se contaminaram com o "CORONA-VÍRUS", e desenvolveram para á covid-19! Eu fico abismado de ver como é a "PETULÂNCIA", desse pessoal, que não tem á menor desfaçatez em se informar; baixam uma determinação, e a população é que se foda! Vou só citar o caso que foi feito aqui o ano passado, quando o então secretário, que não entendia de nada, que não sabia distinguir coisa alguma, assumiu a secretária, e mandou antecipar á vacinação aqui, e os casos começaram á disparar! Agora não é hora de ficar misturando as coisas, não é hora de ficar entupindo á população com tanta porcaria! Será que este pessoal não está enxergando que o caminho não é esse! Vou reafirmar, os casos estão aumentando é por causa dessa "MALDITA VACINA", ela é igual á vacina da "DENGUE", que não deu certo, virou "DENGUE HEMORRÁGICA", que mata mais rápido do que a doença em si! Hoje temos no meio médico, e clinicando quem não consegue escrever um ditado de 20 palavras corretas, mas é médico, tem autorização para matar! Quando um profissional de saúde deixa o estado clinico do paciente agravar para depois começar a tratar, ele é um mensageiro da morte! Um corpo bem nutrido, não precisa de vacina nenhuma, pois o próprio organismo cria as suas defesas! Para se ver que este pessoal não tem condição de gerir as secretárias de saúde, segundo esta escrito aqui, que deveria ter um intervalo de 14 dias entre as vacinações. O médico rural inglês Edward Jenner descobriu a primeira vacina, já afirmava em 1796 que deveria ter um tempo 6 semanas entre uma aplicação e outra; olham só para á incompetência desse pessoal! Acho que aqueles que tem um parente idoso, não deveria deixar que eles fossem ser vacinados neste momento contra este "placebo", que é esta vacina contra á influenza, se fosse vacina, você não teria que repeti-la todo ano, não é mesmo?! Raciocina pessoal, está massa cinzenta que vocês tem entre as duas orelhas, é para ser usado, não é simplesmente um acessório para se colocar 'CHAPÉU"! Estão já há um bom tempo, te passando á perna, e vocês acreditando que oque estão lhe fazendo é para o seu próprio bem!