Comitê Macrorregional de saúde faz recomendações para evitar subnotificações de Covid-19

logo-face
logo-face
Comitê Macrorregional de saúde faz recomendações para evitar subnotificações de Covid-19

A reunião do Comitê Macrorregional Noroeste - COVID – 19 foi realizada na tarde de sexta-feira (24) por meio de videoconferência e teve a participação da diretora  da Superintendência Regional de Saúde de Patos de Minas, Noemi Romero Augusto de Magalhães Portilho, ao lado de técnicos da SRS Patos de Minas, do diretor da GRS UNAI, José Juliano Espíndola do promotor de justiça, Dr Rodrigo Domingos Taufick e da Presidente do COSEMS URS de Patos de Minas, Polyana de Oliveira Caires estabeleceu mecanismos de prevenção e combate a pandemia da Covid-19 na área de abrangência.

Visando informar e tomar medidas preventivas em relação à pandemia do Coronavírus, o Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do COVID-19 - Comitê Extraordinário COVID-19 discutiu assuntos relacionados à pandemia, e levando-se em consideração o cenário epidemiológico da macrorregião. O comitê recomenda as Secretarias Municipais de Saúde que notifiquem todos os casos suspeitos no sistema eSUS- VE do sistema público de saúde e oficiem os hospitais e os laboratórios particulares do seu Município, para que também façam a notificação no mesmo sistema, evitando assim a subnotificação dos casos na Macrorregião.

A recomendação também é para que prefeitos que aderirem ao Programa Minas Consciente, que o façam através de Decreto Municipal, e os prefeitos que não aderirem ao Programa, sejam prudentes e técnicos quanto à abertura dos estabelecimentos comerciais, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e as Deliberações do COES Minas, embasando suas decisões em critérios técnicos científicos.

A abertura dos estabelecimentos comerciais deve considerar o quadro epidemiológico da Macrorregião de Saúde e não o quadro do Município, pois os leitos clínicos e UTI´s disponíveis são definidos por Macrorregião.  As Secretarias Municipais de saúde devem fazer o monitoramento diário dos casos suspeitos e contatos, tanto dos hospitais públicos quanto particulares, observando as notas técnicas quanto à prioridade de testes para a população e testando os pacientes sintomáticos dentro dos critérios estabelecidos.

Os Municípios devem recomendar o uso de máscaras para a população em geral e fiscalizar dos estabelecimentos comerciais quanto aos protocolos de prevenção do COVID-19, notificando os estabelecimentos que estiverem descumprindo e orientando sobre as sanções aplicáveis aos casos (Lei Estadual 23.636, de 17/04/2020). As negativas pelos estabelecimentos comerciais em cumprir os protocolos de segurança devem ser enviadas para o conhecimento da Sala de Situação e/ou Comitê Municipal para tomada de decisão e também deverá ser comunicada a Sala de Situação Regional para deliberações e providências

Fonte: SRS/Patos de Minas

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 25/04/2020

    Qual a determinação da OMS, a de antes, ou d'agora, eu não sei como uma pessoa que não é formado em medicina, pode dirigir um órgão que da qual é uma área que ele não tem o menor conhecimento! Então é um cego querendo dirigir uma "Ferrari", será que consegue, e até quando vamos ficar ouvindo esta cantilena?! Se esta doença afetasse só a camada pobre da sociedade, já teria morrido meio mundo, mas como quem pegou foi quem estava fazendo "Turismo", tem que ter a maior preocupação! E as outras doenças estão de quarentena também, agora só se morre disso! Oque é interessante que agora todo incompetente quer mostrar a cara, querendo se passar por especialista, como é que este bando de ordinários, não se preocupa com a população da mesma maneira o ano todo?! Porque este bando energúmeno, não se comporta assim toda vez que o "Patrão" ( Patrão, é o cidadão que paga impostos e é mal tratado nos órgãos públicos) vai á estes órgãos e o tratamento é péssimo, e quando ele revindica, é taxado de encrenqueiro, e desacatador de servidor publico! Agora virou mania, bater palma para quem trabalha na área da saúde, qual a diferença para as outras classes?! Não vejo ninguém bater palma para o gari, para o lavrador, para o Policial, para o pedreiro, para o carroceiro...etc! Mas aqui é assim, para o mal profissional trabalhar e mostrar serviço, ele tem que ser "BAJULADO"... não estão fazendo mais que as suas obrigações!!!