Livro “Só por ti, Jesus” será apresentado ao público em setembro

logo-face
logo-face
Livro “Só por ti, Jesus” será apresentado ao público em setembro

Será lançado, no dia 6 de setembro, em Patos de Minas, o livro “Só por ti, Jesus - Em uma vida”, publicação da Editora Viseu. A noite de autógrafos será realizada no Salão de Festas da Igreja Cristo Redentor, a partir das 19h. A obra é basicamente uma autobiografia. Nela, a autora, Emília Geralda dos Reis, conta sua história de lutas (dificultadas por uma doença hereditária grave) e de vitórias pessoais alcançadas através do amor.

Emília foi acometida, desde o nascimento, por Atrofia Muscular Espinhal (AME). Em síntese, no caso dela e de suas três irmãs, após os primeiros anos de vida, a doença se manifestou causando fraqueza e atrofia progressiva dos músculos até impedir por completo os movimentos voluntários mais simples como sustentar a cabeça, sentar, erguer os braços, segurar um copo e andar.

No livro, Emília relata como encontrou, na fé, sua verdadeira identidade e a razão para resistir/existir, passando de uma adolescente revoltada, descrente e impulsiva a uma pessoa extremamente doce, conciliadora, uma catequista carismática e dedicada às atividades pastorais e religiosas na sua comunidade. A noite de lançamento terá buffet de salgados e músicas nacionais, interpretadas ao vivo por amigos da autora.

Sobre a autora

Emília Geralda dos Reis (55 anos) nasceu em Patos de Minas, em 6-1-1964. É filha de Maria Rodrigues da Mota e João Teixeira da Mota, irmã de Adélio, Carlos Lúcio, Olivério, Fatinha, Marilda e Eliana, mãe de Vinícius, avó de Ana Clara. Estudou contabilidade na Escola Estadual Adelaide Maciel. É formada em teologia pelo Seminário Maior de Patos de Minas. Foi Catequista na Comunidade Cristo Redentor por muitos anos. Por causa da doença, Emília é cadeirante e usa aparelho Bipap, que a auxilia na respiração.

Sobre o livro

Em “Só por ti, Jesus”, Emília conta os capítulos mais marcantes da sua vida e a luta de toda a família, especialmente da mãe, Maria, viúva precoce, que trabalhou para criar sete filhos e cuidou das quatro filhas portadoras de AME. Emília relata as esperanças e decepções de anos e anos na busca pela cura, a perda das irmãs para a doença, a conversão pela fé que mudou completamente sua visão de mundo. Prepare o coração. Será impossível não se emocionar. E reserve alguns lenços.

Texto e fotos: Assessoria da Autora.

Comentários