Interferência do Ministério Público nas decisões da Administração Municipal é alvo de crítica de vereadores

logo-face
logo-face
Interferência do Ministério Público nas decisões da Administração Municipal é alvo de crítica de vereadores

Os vereadores de Patos de Minas estão irritados com a constante interferência do Ministério Público (MP), nas decisões da Prefeitura Municipal. O centro da polêmica, desta vez, é o decreto assinado pelo prefeito José Eustáquio (DEM), que impede que o município de ceder máquinas e servidores para manutenção de estradas rurais, em propriedades particulares. O Chefe do Executivo Municipal deixou claro que atende a uma solicitação do MP. Entre os vereadores, a decisão não repercutiu bem.

Em entrevista à Rádio Clube 98, o vereador Francisco Carlos Frechiani (DEM) criticou a constante interferência dos Promotores nas decisões que competem ao Executivo e ao Legislativo Municipal. “Eu acho interessante que a Promotora mandou o Prefeito proibir o que já é proibido – e o prefeito acatou”, ironizou o parlamentar.

Além disso, Chico também analisou o caso das estradas rurais e afirmou que o assunto deve ser observado com atenção. “Na realidade, o que a promotoria diz é que você não pode cuidar de estradas particulares. Agora, nós temos que olhar isso com certa reserva. Na Zona Rural há aqueles que têm condições de cuidar das próprias estradas e outros não têm essa mesma condição. E é por essas pessoas, sem condições, que nós temos que olhar”, disse.

Ele também deixou uma sugestão ao prefeito para resolver o impasse. “Eu acho que deveria ser criado um programa e tratar disso de forma igualitária, ou seja, sem beneficiar ninguém, mas que atenda aqueles que mais precisam. O simples fato de proibir é coisa de gente preguiçosa”, disse.

Quem também criticou o decreto e a atitude da Promotoria, foi o vereador Isaías Martins (MDB). “É um absurdo! O prefeito acabou de lavar as mãos e dizer que o MP está certo. Então, onde fica o direito do cidadão da Zona Rural? Muitas dessas pessoas precisam desse apoio. E muitos não conseguem pagar pela própria manutenção”, disse.

Por: redação Clube Notícia. 

Foto: arquivo Clube Notícia.

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 10/08/2019

    Julgava eu, que o cidadão no Brasil, pagava imposto para receber os Benefícios dos valores dos seus IMPOSTOS... mas não! Imposto aqui é para dar PRIVILÉGIOS, há alguns, com salários altíssimos, que não correspondem com a qualificação dos senhores " AUTORIDADES CONSTITUÍDAS"! Se o ministério publico, cumprissem o seu dever perante a sociedade como se deve... Talvez o país não seria uma maravilha, mas seria tranquilo para se viver!

  • Rafael Lopes

    Comentário enviado em - 10/08/2019

    Porque o prefeito não entrega a prefeitura para o ministério público tomar conta, ele não tem decisão próprio.

  • Manoel Siqueira

    Comentário enviado em - 10/08/2019

    Não precisa ter eleições no próximo ano, entrega a prefeitura para a promotora tomar conta, ela manda mais que o prefeito é e vereadores