Delegado nega que envolvido na morte de bebê seja o pai da criança e aguarda resultado de exames

logo-face
logo-face
Delegado nega que envolvido na morte de bebê seja o pai da criança e aguarda resultado de exames

Em entrevista para a equipe da Rádio Clube 98, o delegado Érico Rodovalho falou sobre o caso da adolescente que matou o filho recém-nascido, em Patos de Minas. Os investigadores ainda não têm respostas para todas as perguntas do caso, mas já sabem que a menor foi ajudada por uma segunda pessoa. No entanto, o envolvido pode não ser o pai da criança. “A adolescente alega que agiu sozinha. Nesse sentido ela diz que fez tudo sozinha, sem a ajuda de outra pessoa”, explicou. Rodovalho também preferiu não atribuir a participação uma co-autoria ao crime.

Além disso, todas as possibilidades ainda estão em aberto: aborto, infanticídio e homicídio. Para o delegado, é preciso cautela antes de gravar a natureza jurídica do crime. “Antes de qualquer conclusão de uma investigação é temerário você dar nomes aos tipos de crimes em questão”, explicou. À medida que os fatos foram descobertos pelos investigadores, mais possibilidades foram aventadas. “Não podemos descartar nada”, disse o delegado.

A Polícia Civil aguarda o resultado de exames periciais de paternidade e outros que podem descobrir se a jovem utilizou algum medicamento abortivo.

Veja o vídeo com as explicações do delegado:

Comentários