Vírus Zika em Patos de Minas: um caso confirmado e dois suspeitos

logo-face
logo-face
Vírus Zika em Patos de Minas: um caso confirmado e dois suspeitos

Uma idosa de Patos de Minas foi diagnosticada com o vírus zika. Há ainda outros dois casos suspeitos no município. A doença é transmitida pelo aedes aegypti. O setor de epidemiologia está em alerta, pois há risco de epidemia de dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito.  Os sinais de infecção pelo Zika vírus são parecidos com os sintomas de dengue, e começam de 3 a 12 dias após a picada do mosquito. A maior parte dos indivíduos, cerca de 80%, após se infectar com ZKV não desenvolverá qualquer sintoma da doença. De janeiro até agora, foram notificados 528 casos de dengue; 108 foram confirmados.

O primeiro Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti LIRAa – 2019 foi feito pelos agentes do Programa Municipal de Combate à Dengue (PMCD) entre os dias 22 e 25 de janeiro, em todos os bairros da cidade de Patos de Minas, onde foram visitados mais de 4 mil imóveis. De acordo com a agente de combate a endemias, Suelene Oliveira, o índice apontado foi de 2.1 e considerado de médio risco. Segundo a agente, o novo dado preocupa.  “Visitamos todos os bairros da cidade e em todos eles encontramos larvas do mosquito Aedes Aegypti. Por isso pedimos à população que colabore com a limpeza, não deixando água parada onde o mosquito possa reproduzir”, afirmou.

Uma mulher, de 43 anos, morreu em Patos de Minas no Hospital São Lucas e, de acordo com laudo assinado pelo médico Ciro Rodrigues Paes, o óbito foi por dengue hemorrágica. Maria Ivone Gonçalves, que era moradora da cidade de Vazante, no Noroeste de Minas, morreu neste mês. Familiares acreditam que Maria Ivone pode ter contraído a doença em Uberlândia, onde havia passado alguns dias.   

Foto: reprodução. 

Comentários