Mulher não paga traficante, por três pedras de crack, e é brutalmente assassinada

logo-face
logo-face
Mulher não paga traficante, por três pedras de crack, e é brutalmente assassinada

Uma mulher, de 36 anos, foi  brutalmente assassinada, na madrugada desta quarta-feira (12), em Paracatu. O crime foi registrado por volta 02h40min, em plena via pública, na Rua Irandir Miranda no bairro Paracatuzinho. Ela pode ter sido morta por conta de uma dívida com o tráfico.

Os militares foram informados, por meio de denuncias, de que estava acontecendo uma briga em plena na via pública. No local, os policiais encontraram a vítima Aline Fabrício Costa Batista, caída na calçada.  Ela estava inconsciente e respirando com muita dificuldade, com o rosto todo desfigurado, com afundamento do crânio e com exposição de massa encefálica, além de um grande corte no pescoço.  

Os policiais encontraram próximo ao corpo uma tábua grande, algumas pedras e cacos de garrafa todos sujos de sangue.  Aline foi socorrida ao hospital pelo Corpo de Bombeiros, contudo, a vítima já deu entrada sem vida. Ainda segundo a PM, do lado do corpo da vítima, os policiais encontraram uma bolsa feminina, com documentos pessoais  possivelmente da vítima.

Segundo a PM, o suspeito do crime de 22 anos conhecido como “Tigrão” foi visto pelos policiais correndo sentido a Praça Júlia Camargo, sendo alcançado e abordado ainda nas proximidades do local do crime. O suspeito confessou e disse que não tinha agido sozinho, porém não quis entregar os comparsas, sendo que a motivação foi por que a vítima estava lhe devendo três pedras de crack.

Diante do flagrante, o suspeito foi preso encaminhado ao Hospital para avaliação médica, e conduzido para a Delegacia de Polícia. Ainda foi encontrado próximo do local do crime, a bicicleta do suspeito do crime, que também estava com o guidão sujo de sangue. A perícia técnica da Polícia Civil foi acionada e realizou os trabalhos. A polícia continua com as diligências com o intuito de identificar e prender os outros envolvidos no crime.

Fonte e foto: JP Agora

Comentários