Gerência do Trabalho perde força em Patos de Minas e fica subordinada a Paracatu

logo-face
logo-face
Gerência do Trabalho perde força em Patos de Minas e fica subordinada a Paracatu

A Gerência Regional do Trabalho, em Patos de Minas, perdeu força, após mudanças promovidas pelo Governo Federal. A partir de agora, o órgão será subordinado a Regional de Paracatu, cidade há mais de 200 km da Capital do Milho. Com isso, algumas questões trabalhistas terão ser feitas na cidade do Noroeste, ou até mesmo em Belo Horizonte. Servidores do órgão, entretanto, prometem lutar para manter as atribuições do setor em Patos de Minas.

“Inicialmente, não mudou nada em relação a nossa prestação de serviços. Já as fiscalizações de trabalho, por exemplo, serão emitidas por Paracatu, ou Belo Horizonte”, informou o responsável pela Agência Especial do Trabalho em Patos de Minas, Fernando Luiz Assis Lima, em entrevista ao repórter Otaviano Marques, da Rádio Clube 98.

Além disso, Fernando lamentou a decisão do Governo Federal. “Agora dificulta. Estamos vinculados a Paracatu para fiscalizações e outros trabalhos”, comentou. Os servidores terceirizados também foram realocados e o órgão foi reformulado. Na prática, a antiga Gerência do Trabalho passou a ser uma Agência Especial do Trabalho, vinculada a cidade de Paracatu.

Fernando também explicou que até mesmo os acordos trabalhistas e os acertos de rescisão terão de ser chancelados pela Gerência de Paracatu. “Os acordos coletivos terão de ir para Belo Horizonte. E há até uma ironia: há dois meses BH nos perguntou se nós tínhamos interesse em prestar esse serviço e nós dissemos que sim!”, disse.

Para não perder as atribuições, os servidores prometem ir à Capital Mineira para tentar reverter a decisão. Eles querem que o órgão da Secretaria Especial do Trabalho tenha autonomia em Patos de Minas.

Comentários