Mãe se revolta com filho traficante, chama a Polícia e menor é conduzido para Delegacia

logo-face
logo-face
Mãe se revolta com filho traficante, chama a Polícia e menor é conduzido para Delegacia

Um menor infrator foi apreendido e levado para a Delegacia de Polícia de Carmo do Paranaíba, suspeito de tráfico de drogas. O fato ocorreu no Bairro Boaventura Braz, quando a própria mãe do rapaz acionou a Polícia Militar, relatando que o filho havia chegado à residência onde mora com uma sacola contendo substância com forte cheiro de maconha. 

Com isso, os militares foram ao local, e assim que pegaram o objeto, acabaram localizando vários tabletes de maconha e porções de crack. Em conversa com a mãe do suspeito, a mulher disse que o filho é traficante de drogas, mas que não aceita guardar entorpecentes dentro de casa, sendo este o principal motivo de ter acionado a PM. Sobre o menor de 15 anos, a mãe falou que ele havia pegado uma bicicleta e fugido do lugar.

Em seguida, os militares saíram em rastreamentos pela cidade e conseguiram localizar o garoto no Bairro Morro Grande. O suspeito ainda tentou intimidar os militares colocando uma das mãos no bolso do moletom que usava insinuando estar armado, sendo que em seguida o infrator disse que iria matar quem se aproximasse dele. Neste momento ele foi advertido pelos policiais para tirarem as mãos dos bolsos e as colocassem na cabeça.

Mas o menor não obedeceu e continuou proferindo palavras de ameaças contras os militares. Por isso, foi necessário que os policiais efetuassem um disparo para conter as ameaças do suspeito. Ele foi detido e em companhia da mãe foi levado para Delegacia de Polícia Civil e entregue ao delegado de plantão, juntamente com as drogas apreendidas.

Fonte e fotos: Wanderley Gontijo e Júlio César

Comentários

  • Na Real

    Comentário enviado em - 13/01/2020

    No meu tempo de moleque, se fizesse uma coisa dessa, levava um corretivo daqueles, e tinha que andar de "calça curta", para que os outros vissem as suas pernas todas lanhadas, para saber que a família não compactuava com aquilo! Mas hoje esta mãe tem esta atitude, aí ele vai para uma casa de passagem, lá tem do bom e do melhor, dez vezes superior do que tem em casa! Aí ele vê que o crime compensa!!!